Das flores ao sistema monetário, turmas mergulham em projetos

11 de fevereiro de 2020

A Escola Colibri propõe um mergulho no campo da experiência por meio de projetos. Da descoberta do mundo das flores às primeiras reflexões sobre o sistema monetário, atividades imersivas permitem que as crianças explorem novos conhecimentos.

 

O mundo das flores

As crianças do G5 da Educação Infantil pesquisaram in loco as diferentes flores do entorno da escola e, a partir da observação, chegaram a novas descobertas sobre o universo botânico. Um dos principais temas de interesse foi a função da terra e da água nas diferentes fases de vida das plantas.

Outro assunto que inquietou a todos foi a germinação. Curiosos(as) para entender o processo, voltaram à sala empolgados(as) na busca por mais informações nos livros. A riqueza de cores, texturas e cheiros das flores encantou a turma, que escolheu o girassol como a flor mais bonita vista no passeio.

 

Os desafios de uma exposição

As crianças das turmas da Educação Infantil de 4 e 5 anos construíram de forma coletiva uma exposição de coleções de diferentes objetos. O G4 colecionou canetas; enquanto o G5, borrachas. O projeto fez com que fossem trabalhadas estratégias de raciocínio lógico, além de procedimentos como a contagem, o registro e a organização dos objetos.

 

Do cofrinho ao milkshake

No componente curricular de Matemática, a turma do 2º ano se empenhou a entender mais sobre o sistema monetário. A atividade prática propunha que pudessem arrecadar uma quantia em dinheiro e, coletivamente, definir qual a finalidade do valor arrecadado. Com a contribuição das famílias, as crianças tiveram uma tarde na lanchonete com direito a sanduíche, refrigerante e milkshake. Durante o processo, a turma realizou uma série de cálculos, estimativas e exercícios matemáticos de suma importância.

 

Conversa de quintal

No projeto “Quintais”, as crianças compartilharam saberes interagindo entre si, discutindo e argumentando sobre seus pontos de vista em atividades desenvolvidas na sala, no parque, na hora do lanche e na roda de conversa. Esse grupo de “pequenos cientistas” realizaram diferentes experiências por meio do brincar. A boa interação entre eles permitiu a construção de aprendizagens mediante o convívio, com a construção de valores como cooperação, solidariedade e respeito.

 

A importância da reciclagem

Os(as) alunos(as) do 4º ano participaram do projeto “Melhorando o mundo”, com o objetivo de conscientizar a comunidade escolar sobre o impacto do lixo na natureza. Para tanto, estudaram o conceito dos três Rs: reduzir, reutilizar e reciclar. Depois de uma discussão inicial, planejaram ações mobilizadoras, sensibilizando as demais turmas com imagens que mostravam o impacto do descarte incorreto de lixo na vida animal. Como finalização do processo, visitaram o Parque do Rizzo, levando o lixo reciclado coletado para trocar por mudas de plantas.

Os(as) alunos(as) do 3º ano também participaram dos debates sobre a produção de lixo e, por conta própria, decidiram reciclar materiais para brinquedos, como casinhas, carrinhos, televisão, dominó, bilboquê, foguete e espada.

 

Os insetos

No projeto “Insetos”, os(as) alunos(as) do 2º ano vivenciaram diferentes momentos de pesquisa sobre as curiosidades que tinham dos insetos encontrados no entorno da escola e fizeram importantes descobertas. A investigação científica foi trabalhada com base em seus conceitos fundamentais, como hipótese, observação e coleta de dados.

 

Nos tempos da vovó

No componente curricular de História, as crianças do 1º ano estudaram e pesquisaram informações sobre os “tempos dos avós”. Durante o processo, resolveram convidar a Dona Izildinha, avó do aluno Daniel, para passar uma tarde na escola, com o intuito de que ela contasse sobre suas memórias da infância.

Para o grande dia, os(as) próprios(as) alunos(as) prepararam o ambiente, elaboraram perguntas e contribuíram na organização de um café, que foi servido aos(às) que estavam presentes. Na conversa, Dona Izildinha relembrou momentos marcantes de sua vida, contou sobre sua infância e sobre a história de uma boneca confeccionada com o sabugo, que brincou por muitos anos.